Física – Curitiba
Sobre o curso Perfil História do curso Vagas Saiba mais Palestra Contato Vestibular Homepage Voltar Cursos relacionados

Sobre o curso

Objetivos:
O objetivo do Curso de Bacharelado em Física é o de formar os futuros professores e futuras professoras do ensino superior e os pesquisadores e as pesquisadoras em física, para atuarem nas instituições de ensino público e privadas além dos centros de pesquisa nacionais e internacionais. É o passo inicial na formação de cientistas capacitados e capacitadas além de comprometidos e comprometidas com o desenvolvimento da ciência nacional, seja básica e aplicada, e com o desenvolvimento social, humano e tecnológico da sociedade na qual está inserido e inserida.

O Curso de Licenciatura em Física prepara os futuros professores e futuras professoras de Física para atuarem no ensino nos níveis Fundamental e Médio, além de iniciar a formação de futuros pesquisadores e futuras pesquisadoras tanto na área de Física como em Ensino de Física, formando cientistas que possam atuar no sentido de melhorar as condições de ensino e aprendizagem. No caso do professor de Física, ele deve ser um profissional atento às necessidades da sociedade. Deve ter e ser capaz de instigar uma postura investigativa nos seus estudantes, disseminando o gosto pela Ciência de forma geral, e pela Física em particular. Deve ser capaz de compreender abordagens pedagógicas diversas, aplicando a mais adequada a uma determinada situação. O curso de Licenciatura em Física tem esses princípios como norte e almeja a formação de um profissional capacitado, crítico e transformador.

O que você irá encontrar?
Durante o curso de Bacharelado, os e as estudantes terão disciplinas de diversas áreas: Física, Química, Matemática e Informática, buscando uma formação ampla, sendo dividida em um núcleo comum, formado pelas disciplinas básicas como as físicas iniciais, tanto teóricas quanto de laboratório, da matemática, química, e o módulo de formação específica, integrado pelas disciplinas profissionalizantes, onde podemos citar a Mecânica Clássica avançada, Mecânica Quântica, Eletromagnetismo, Termodinâmica e a Física Estatística.

O aluno e a aluna do Bacharelado em Física tem sua formação profissional complementada por disciplinas optativas que tratam dos mais variados campos de atividade de seu interesse como: Astronomia, Astrofísica, Meteorologia, Relatividade, Física do Estado Sólido, Física Atômica e Molecular, Geofísica, Biofísica, além de outras disciplinas mais avançadas em matemática, química, línguas estrangeiras, entre outras. Durante sua formação, o/a estudante ainda pode realizar atividades de iniciação científica, que inicia o aluno e a aluna na carreira de pesquisador e pesquisadora, além de atividades de monitoria, extensão e programas de mobilidade acadêmica, que permitem a participação em intercâmbios nacionais ou internacionais.

Durante o curso de Licenciatura, o/a estudante terão disciplinas de diversas áreas: Física, Química, Matemática, Informática, LiBras, além das disciplinas relacionadas com o Ensino de Física, buscando uma formação ampla, que compreende, desde o início, um núcleo básico e de formação específica, formado pelas disciplinas básicas como as físicas iniciais, tanto teóricas quanto de laboratório, da matemática, química, e as disciplinas de didática, metodologias de ensino, LiBras, Psicologia da Educação e Prática de Docência, que contam com carga horária de estágio, além de disciplinas que tratam de direitos humanos, diversidade e extensão universitária, entre outras. O aluno e a aluna da Licenciatura em Física tem sua formação profissional complementada por disciplinas optativas que tratam dos mais variados campos de atividade de seu interesse como: Metodologias em ensino de Matemática e Química, Educação Ambiental, História da Educação, além de outras disciplinas mais avançadas em física, matemática, línguas estrangeiras, entre outras. Durante sua formação, o/a estudante ainda podem realizar atividades de iniciação a docência, em programas como o Licenciar e Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência (PIBID), além de iniciar sua carreira em pesquisa participando de programas de iniciação científica, além de atividades de monitoria e programas de mobilidade acadêmica, que permitem a participação em intercâmbios nacionais ou internacionais.

Perfil

Estudante:
gif com o personagem Homer Simpson olhando pela janela através das frestas de uma persiana. A imagem traz o texto
Espera-se que as pessoas interessadas em se formar em Física tenham interesse em compreender os fenômenos naturais, espírito crítico e de observação, aptidão para lidar com problemas novos, bons conhecimentos e interesse em matemática.

Profissional:
gif de dois gatinhos em brincando com um pêndulo de newton (facilmente encontrado como brinquedo decorativo, com pêndulos que transferem a energia do movimento de um para outro)
O físico e a física, independente da área de formação e atuação – Licenciatura ou Bacharelado, é um profissional e uma profissional que deve desenvolver a capacidade de tratar problemas novos e tradicionais. Em todas suas atividades, a atitude de investigação deve estar sempre presente e deve estar sempre preocupado e preocupada em buscar novas possibilidades de desenvolver e defender a ciência que produz. O profissional bacharel ou profissional bacharela ocupa-se preferencialmente de pesquisa, seja ela básica ou aplicada, e atua em universidades públicas ou privadas ou centros de pesquisa, públicos ou privados, nacionais ou internacionais. Este é o campo de atuação mais bem definido e que absorve a grande maioria dos profissionais que terminam a pós graduação ao final do bacharelado. Porém, bacharéis em física podem atuar em outras áreas como Física Médica, Perícia criminal, Oceanografia, Meteorologia, Geologia, Economia, Administração além de áreas interdisciplinares com a Biologia, Química, Meio Ambiente, Comunicação, e vários outros campos.

História do curso

A história do Setor de Ciências Exatas remonta às origens da própria Universidade. Em novembro de 1912, dois grupos distintos, um liderado por Victor Ferreira do Amaral e outro por Nilo Cairo, uniram forças para criar a Universidade do Paraná (UP), que abriu as portas no ano seguinte. A UP começou a funcionar como uma instituição particular, com sede provisória na rua Comendador Araújo, prédio onde hoje se encontra o shopping Omar. Em 1914, os cursos foram transferidos para o edifício da praça Santos Andrade.

Porém, as universidades particulares foram obrigadas a fechar as portas por causa do decreto federal 11.530, de 18 de março de 1915, conhecido como Lei Maximiliano. Para driblar esta lei, em 1918, a UP foi desmembrada em três faculdades autônomas: direito, engenharia e medicina. Elas continuaram agregadas sob a Federação das Faculdades Autônomas do Paraná.

Os primeiros cursos de exatas surgiram vinte anos mais tarde, com a criação da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras do Paraná (Fafi) em 1938. Esta faculdade organizava-se em três departamentos – filosofia, ciências e letras – e num Instituto Superior de Educação. O Departamento de Ciências abrigava, entre outros cursos, os de física, química e matemática.

Inicialmente, as aulas da Fafi eram ministradas em lugares provisórios. Ao final da década de 1940, todos os cursos instalaram-se em um novo prédio, construído pela União Brasileira de Educação e Ensino na rua XV de Novembro, 1.004, esquina com a Tibagi. O prédio, que foi a sede da faculdade por quase duas décadas, não existe mais.

A UP foi finalmente reconhecida em 6 de junho de 1946, por meio do decreto-lei 9.323. Apenas quatro anos mais tarde, outra conquista: a UP foi federalizada, juntamente com outras instituições brasileiras, pela lei 1.254 de 4 de dezembro de 1950. Assim, tornou-se a Universidade Federal do Paraná (UFPR).

Naquele momento, era preciso crescer e expandir o espaço físico. Entre outros projetos, foi construído o complexo da Reitoria, na rua XV de novembro, 1.299. A Fafi mudou-se para este endereço em 1958 e instalou-se no prédio hoje conhecido como D. Pedro I.

A UFPR também tinha por objetivo construir uma “cidade universitária”, em um terreno que fora doado pela Prefeitura de Curitiba em 1943. A área era de 500 mil metros quadrados, localizada no Jardim das Américas. Ao longo da década de 1950, percebeu-se que o espaço não era suficiente para abrigar toda a universidade. Então, foi designado para as engenharias. Em 1961, foi inaugurado como Centro Politécnico.

Inicialmente, o complexo abrigaria apenas os cursos de engenharia civil, mecânica e elétrica, além de arquitetura e urbanismo. Já nessa época, os cursos de exatas proviam aulas para outras áreas de formação, principalmente para as engenharias. Alguns professores das exatas transitavam entre a Reitoria e o Centro Politécnico para dar aulas. A mudança definitiva para o “Poli” viria somente em 1971, com a Reforma Universitária.

Ao longo do tempo, a estrutura organizacional da universidade se modificou. Em 1959, os institutos, escolas e faculdades foram reorganizados. Naquele ano, foram fundados três institutos de ciências exatas: o Instituto de Física, com sede na Escola de Engenharia; o Instituto de Matemática, com sede na Faculdade de Ciências Econômicas; e o Instituto de Pesquisas Químicas, com sede na Escola Superior de Química.

A mudança mais profunda ainda estava por vir. Em 1971, a UFPR criou os departamentos como as menores unidades administrativas, para cumprir a lei 5.540, de 28 de novembro de 1968, conhecida como Lei da Reforma Universitária. Cada departamento regia uma área do saber e estava subordinado a uma faculdade ou instituto. As exatas estavam presentes nos institutos de matemática e física, além do ensino básico de química, promovido pela Faculdade de Engenharia Química.

Em 1973, uma nova reforma universitária foi efetivada, extinguindo as faculdades e institutos e criando os setores. Toda a estrutura universitária foi renomeada e reorganizada. Hoje, a UFPR mantém sua configuração organizacional baseada em 14 setores, que agrupam departamentos de áreas afins.

O atual Setor de Ciências Exatas surgiu da fusão dos institutos de matemática e de física com parte da Faculdade de Engenharia Química em 1973. O seu caráter de fornecedor de disciplinas básicas, principalmente a cursos instalados no Centro Politécnico, fez com que fosse levado definitivamente para este campus.

Atualmente, 6 departamentos estão sob a administração do setor, o que gera um fluxo de aproximadamente 2.500 alunos por ano, distribuídos em 12 cursos de graduação e 10 de pós-graduação (Relatório de Atividades UFPR/2016). Desde 2017, a sede do setor está localizada em um novo prédio para melhor atender estudantes, servidores e a comunidade em geral.

Vagas

Saiba mais

Selo “Aqui Tem”: este curso possui Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência (PIBID), Residência Pedagógica (RP), Programa Institucional de Monitoria e Programa de Voluntariado Acadêmico (PVA).

Durante o Curso de Graduação em Física, o/a estudante poderá realizar atividades de Extensão Universitária, visto que o Departamento de Física conta com projetos de extensão universitária permanentes no Centro de Divulgação de Física (CDF): O “Fi.Br.A – Física: Brincando e Aprendendo” e o “Astro – Observações e Divulgações de Astronomia”, que muitos e muitas estudantes das escolas públicas e privadas de Curitiba e região metropolitana já tiveram a oportunidade de conhecer e participar.

Além desses conceituados projetos, os alunos e alunas poderão participar também de projetos mais recentes como “Meninas e Mulheres nas Ciências”, em desenvolvido por professoras do Departamento de Física em conjunto com outras docentes do Setor de Ciências Exatas.

O Projeto de Extensão “Fisique-se” oferece anualmente atividades para todos os alunos e todas as alunas dos cursos, como Semana Acadêmica, Semana do Calouro, além de atividades de divulgação científica junto à comunidade para promover a popularização da Ciência.

Durante os cursos, os alunos e alunas poderão participar de projetos de pesquisa com docentes doutoras e doutores de grande destaque e com colaborações internacionais dentro dos programas como o Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica (PIBIC); Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica Ações Afirmativas (PIBIC – Af).

Palestra

Contato

E-mail:

coord@fisica.ufpr.br


Site:

http://fisica.ufpr.br/grad/bacharelado.html


Local:

Centro Politécnico da UFPR

Av. Cel. Francisco H. dos Santos, 100
Jardim das Américas, Curitiba – PR

Vestibular

Homepage

Voltar

*Dados fornecidos pela Coordenação do Curso e pela Pró-reitoria de Graduação (Prograd), sujeitos a alteração sem aviso prévio. Para fins legais, e para qualquer divergência de informação, vale o que está disposto nos editais oficiais do Processo Seletivo 2020/2021 publicados pelo Núcleo de Concursos.

Escolheu seu curso?! Então baixe seu certificado e compartilhe no Instagram e no Facebook!

Compartilhe esta página nas redes sociais!
Universidade Federal do Paraná
UFPR: Cursos e Profissões

Rua XV de Novembro, 1299 - Centro
80.060-000 | Curitiba | PR
+55(41) 3360-5000
Redes Sociais - Feira de Cursos e Profissões
Universidade Federal do Paraná
UFPR: Cursos e Profissões

Rua XV de Novembro, 1299 - Centro
80.060-000 | Curitiba | PR
+55(41) 3360-5000

Feira de Cursos e Profissões nas Redes Sociais